ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Rankeando os 15 arremessos mais icônicos da NBA desta década

Por João Dannemann

Icônicos. O título diz: "icônicos". Isso não quer dizer que é qualquer arremesso que tenha levantado os torcedores durante a década de 2010, nem tudo que se destaca. Icônico é aquele arremesso que, daqui a 20 anos, ainda será mostrado na NBA TV e em todos os canais de esporte. Hoje, eu vou rankear os 15 arremessos mais icônicos da década e fiz isso com dificuldade. Acreditem, foi difícil lembrar e depois ordenar, usando algum critério, tantos momentos marcantes. Confira:

  • 15 - A Força de Kobe:

Esse par de lances-livres precisava estar aqui e é claro que estão em último na lista porque, bem, são apenas lances-livres. Mas, ao final do dia, ou da década, nesse caso, eles são realmente icônicos. Eles, pra mim, realmente significaram o fim da carreira de Kobe Bryant. Ele estava tendo uma ótima temporada em 2013, ele estava deixando sua vida em quadra, como sempre fez, mas dessa vez era um pouco diferente, porque o time não vinha bem e ele estava ficando velho.

Porém, ele levantando com um rompimento no tendão de Aquiles, para andar até a linha de lance-livre, com suas próprias forças, para realizar os arremessos porque sabia que seu time precisava... quase não dá para ser mais icônico que isso, em termos de arremessos livres, pelo menos. 

Kobe conta que quando ele estava no chão, ele forçara seu Aquiles com as próprias mãos para tentar coloca-lo de volta no lugar e continuar a jogar. Ele queria continuar no jogo, porque era final de temporada e os Lakers brigavam pela oitava posição no Oeste. E, já que ele não conseguiria mais jogar, o mínimo que ele podia fazer era levantar e, mesmo machucado, arremessar seus lances-livres para ajudar seu time. Que, eventualmente, vencera a partida. Tem muito simbolismo nesse lance. Seja você fã de Kobe ou não, você não pode questionar seu coração, sua dedicação ao jogo, sua paixão, tudo isso resumido nesse momento. E, sua saída de quadra mancando também é simbólica, porque essa foi, de fato, a última vez que nós vimos o Kobe Bryant que estávamos acostumados a ver.

  • 14 - O Fim:

E quem diria que nessa lista apareceriam lances-livres de Kobe Bryant por duas vezes. O último arremesso da carreira do lendário jogador. O poético lance-livre que lhe deu o ponto de número 60 na partida contra o Jazz. 60 no seu último jogo! É mais louco ainda parar e pensar que seus dois primeiros pontos na NBA também foram marcados em lances-livres. Do jeito que ele chegou, ele foi embora. 

A iconicidade desses arremessos é autoexplicatória. De quando Kobe Bryant lesionou o Aquiles a este jogo, foram três anos de nada além de problemas. Foi um jeito muito cruel de se encerrar uma carreira tão brilhante. Então, quando chegamos nesse último jogo e ele foi capaz de nos dar uma última performance verdadeiramente de Kobe Bryant, foi perfeito. Era um jogo disputado, hora dele mostrar a que veio uma última vez. E não foram apenas dois lances-livres, foram arremessos nos segundos finais, decisivos, era literalmente o último momento decisivo da sua carreira.

Por sinal, foram os lances-livres que sacramentaram o jogo. Os Lakers estavam apenas um ponto à frente, ele foi diretamente até a linha de caridade e nos fez lembrar o porque o chamamos de Mamba Negra.

  • 13 - O Dueto de 2018:


Eu escolhi os arremessos decisivos de LeBron contra os Pacers e contra os Raptors como dois em um, porque eles cruzam o mesmo ponto e são basicamente icônicos pelo mesmo motivo. Primeiramente, eles vieram durante as icônicas performances do camisa 23 nos playoffs de 2018. Que, estatisticamente, pode até ser chamada como a melhor performance em playoffs de todos os tempos, se você analisar bem. E, durante aquele ano, se lembrarem bem, foi a única vez que era dito que LeBron James corria o risco de não vencer a Conferência Leste em toda a década.

Ele possivelmente iria para casa contra o equilibrado time do Indiana Pacers já na primeira rodada. Então, aquele primeiro arremesso dos dois veio durante um tenso e crucial jogo cinco. Pois, do jeito que a série se desenhava, se Indiana levasse de volta para casa uma vantagem de três a dois, dificilmente os Cavaliers se recuperariam na série. Analisando mais friamente, esse foi o pior time que LeBron jogou em toda a década, sem sombra de dúvidas.

Depois veio o arremesso contra Toronto. Esse foi épico, porque LeBron deveria estar sem gás. Já não tinha mais a companhia de Kyrie, o time já não era tão qualificado quanto nos anos anteriores e esse era, provavelmente, o melhor time do Raptors a enfrentar LeBron James no Leste em toda a década. Portanto, não só ele dominou completamente os Raptors, como ainda fez esse arremesso incrível, em movimento, para dar o três a zero de vantagem para os Cavs. Considerando as circunstâncias e o jeito que LeBron estava jogando em ambas as séries (e nos playoffs, sobretudo), esses são momentos 100% icônicos.

  • 12 - Troca de Farpas:


Novamente outro dois em um, porque esses arremessos são icônicos por quase o mesmo motivo ou são tão relacionados que simplesmente não faz sentido separa-los. D-Rose e LeBron trocaram arremessos decisivos em 2015 e, para Rose, esse foi um momento especial porque fez parecer que a espera tinha chegado ao fim.

A esta altura, ele já tinha se machucado múltiplas vezes e nós já sabíamos que ele jamais seria o mesmo que venceu o MVP em 2011. Mas, mesmo assim, ali estava ele, nos playoffs de 2015, liderando uma série de playoffs em dois a um, contra LeBron James, que na época estava em busca da sua quarta ou quinta aparição em Finais consecutiva. E, já que era apenas o jogo três, os Bulls tinham mais um jogo em casa na sequência e poderiam facilmente ampliar a vantagem para três a um.

Aí é que entra LeBron James com o seu arremesso decisivo, para salvar os Cavaliers. Os Bulls eram muito bons naquele ano. Muita gente não lembra, mas eles tinham uma chance legítima de chegar nas Finais da NBA. Muitos acreditam que, se passassem dos Cavs, fariam um belo duelo com os Warriors. Mas, o arremesso de LeBron empatou a série em dois a dois e, eventualmente, reanimou Cleveland para vencer a série. 

Eu não me lembro uma série de playoffs na história recente na qual o melhor jogador de cada time acertou um arremesso decisivo em jogos consecutivos, como essa. Na verdade, eu não acho que isso aconteceu alguma outra vez. Por sinal, vale destacar que na jogada do arremesso de LeBron, o técnico David Blair havia desenhado a jogada com o camisa 23 batendo a lateral. Eu não sei o que leva um treinador a colocar o (possivelmente) melhor jogador de todos os tempos para bater um lateral nos segundos finais de uma partida empatada e decisiva. Mas, LeBron ignorou o pedido do técnico e provou, mais uma vez, ser mais inteligente do que o normal.

  • 11: BANG!!!

Esse momento ainda me dá arrepios. Eu me lembro aonde eu estava, com quem eu estava, da minha reação ao ver isso! O arremesso de três de Steph Curry contra o Oklahoma City Thunder, no que deveria ser chamado de "o jogo do tornozelo" - eu não sei porque esse nome nunca pegou -, mas foi porque ele contundiu o tornozelo nessa partida, mas não saiu de jogo, mesmo que o tornozelo seja a sua kriptonita. Parecia feio, ele saiu da quadra, voltou e acertou arremessos que eu nunca havia visto alguém acertar.

Esse arremesso veio num ano no qual ele mudou completamente o jogo. Ele já era um grande arremessador, já era MVP, mas ele chegou naquele ano arremessando de distâncias jamais vistas. Ele arremessava a muitos centímetros de distância da linha de três, em movimento, como se fosse fácil (talvez fosse pra ele). Portanto, quando ele cruza a linha do meio da quadra nessa jogada, surpreende a defesa e, em movimento, arremessa de muito longe, foi a epítome disso tudo. 

Não foi um arremesso de três qualquer. Foi o tipo de arremesso de tês que veio na hora e lugar certo para Curry, para afirmar a temporada que ele fazia, que ninguém jamais havia visto algo igual. Realmente significou como ele estava mudando o jogo naquele ano. E, como conselho, assista essa jogada repetidas vezes e procure olhar as reações dos jogadores, especificamente os do Thunder, que ficaram completamente chocados.

  • 10 - Adaga:

Esse arremesso de Paul Pierce sobre LeBron é um arremesso icônico que seria ainda maior caso os Celtics tivessem vencido a série e chegado nas Finais daquele ano. Trazendo isso ao assunto, você talvez esteja se perguntando porque ele está na lista. Está por causa do contexto e de tudo que ocorria na época. O Heat de LeBron ainda não havia ganhado um título, os Celtics estavam caindo aos pedaços àquela altura, com muitos jogadores contundidos. Jeff Green, Avery Bradley, Ray Allen lidava com problemas no tornozelo, mas, ainda assim, os Celtics, com esse arremesso incrível, estavam a uma vitória das Finais da NBA.

Tudo isso aliado ao papo de que após esse jogo o vestiário de Miami estava um caos e, caso perdessem a série, o time iria se separar. E toda a esperança que esse grupo e toda a torcida de Miami havia depositado nas chegadas de LeBron James e Chris Bosh. Todo o contexto ajudou a engatilhar o que talvez seja a melhor performance de LeBron em um jogo de playoffs na sua carreira. Quando parecia que os Celtics, mais uma vez, decepcionariam o astro, ele surgiu na partida seguinte como uma besta. 

Ninguém nunca vai esquecer essa série, ninguém vai esquecer o que significou, ninguém nunca vai esquecer o que LeBron James fez e porque ele fez, e é por isso que ninguém nunca vai esquecer esse arremesso, tornando ele memorável.

  • 9 - Destronado:

Essa poderia ser mais uma colocação na qual temos dois arremessos em um, mas não será. Os dois arremessos, tanto nas Finais de 2017 quanto nas de 2018 são extremamente parecidos, em contexto e em situação, por isso o vídeo que mostre os dois. Mas a série de 2018 foi tão desequilibrada, tão desbalanceada, que eu nem creio que valha a pena dissertar sobre o arremesso deste ano. Era o pior Cavs de LeBron contra um dos melhores times de todos os tempos.

Já em 2017, era um Cavaliers que conseguia enganar. Tinha certo talento para fazer o torcedor pensar que daria certo. Mas, a razão pela qual esse momento está rankeado tão baixo, apenas na nona posição, é porque quando Kevin Durant e LeBron James se enfrentaram nas Finais de 2012, você sabia que eventualmente (ou pelo menos você pensou), quando fosse mais velho, Kevin Durant traria um desafio maior para LeBron James. Não era pra ser em 2012, o Heat era melhor, LeBron tinha uma missão, era o que era.

Porém, a imagem acima, de Kevin Durant numa camisa do Golden State Warriors, até hoje parece editada. Isso não era como KD deveria superar LeBron. Não deveria ser numa situação na qual ninguém o respeitava, uma situação na qual até ele mesmo provavelmente não respeitava. Pareciam tão manufaturadas aquelas temporadas dos Warriors, desde o momento que KD assinou com eles. Mas, mesmo assim, um arremesso decisivo em Finais é um arremesso decisivo em Finais, especialmente tratando-se de dois jogadores desse calibre.

  • 8 - Hora do Lillard:

Meu Deus do céu... esse arremesso de Lillard contra os Rockets é absurdo. Esse era apenas seu segundo ano na NBA e sua primeira série de playoffs da carreira. E ele simplesmente acertou o arremesso que decidiu a série. Desde então já não existiam muitas dúvidas sobre a capacidade desse garoto. 

Mas o que muita gente não se lembra é que o Houston Rockets era um excelente time em 2014. Vale lembrar que eles tinham a vantagem de casa nessa série e Portland estava dois pontos atrás no placar, portanto se Lillard não convertesse esse arremesso, eles iriam para Houston, num jogo sete decisivo, numa série que eles tinham um três a um de vantagem. Havia uma grande chance de que um provável jogo sete em Houston acabaria essa caminhada nos playoffs para Portland.

Mas tudo sobre esse momento é apenas maravilhoso. Apenas 0,9 segundo no relógio, Lillard não se intimidando nem um pouco, batendo palmas, pedindo a bola, literalmente correndo em direção ao momento. É difícil de acreditar que ele poderia superar isso um dia, certo?

  • 7 - O Desrespeito de Lillard:

Errado. Um dos momentos mais desrespeitosos da história da NBA e, ainda assim, icônico ao mesmo tempo. O arremesso de adeus de Lillard ao Thunder é ainda mais épico hoje do que quando ocorreu, porque nós sabemos tudo o que aconteceu depois dele. 

Primeiramente, Lillard e Westbrook já tinham um histórico de desavenças. Mas tudo bem, provocações fazem parte da NBA. É legal ver os jogadores competirem e criarem rivalidades, mas há certas coisas que vêm com as provocações. E Lillard não respondeu falando, discutindo, mas com um dos arremessos de mais sangue frio da história, para fechar a série contra OKC, ainda acenando adeus para a equipe do Thunder (provavelmente para Russell Westbrook) e criando um meme.

Após a temporada acabar, o Oklahoma City Thunder desmoronou completamente e entrou em remodelação. Paul George e Russell Westbrook deixaram a equipe e rumaram à novos ares. Esse arremesso de Lillard não só fechou uma série de playoffs como mandou uma franquia para a remodelação. Dadas as circunstâncias e tudo o que ocorreu, eu não acho que a gente verá algo parecido futuramente.

  • 6 - V de Vingança:

Nessa posição falaremos sobre o segundo arremesso do vídeo acima (00:50). Para começar, vale dizer que é um arremesso muito subvalorizado e eu pus tão alto na lista, porque foi a primeira vez que LeBron James finalmente despachou os Celtics. No final desse jogo, tudo dava certo para ele, como o vídeo mostra bem. Enterradas, roubos de bola, mas esse arremesso de três foi o que acabou com todos os problemas que ele sempre teve com o time verde de Boston (mesmo que nós não soubéssemos disso na época). Depois disso, ele nunca mais perdeu uma série de playoffs contra os Celtics.

Foi algo tão grande pra ele acertar esse arremesso (e não Mario Chalmers ou outro atleta). Era a missão de LeBron, resumida a 10 pontos seguidos para mandar os Celtics para casa. É tudo tão simbólico ao redor desse momento. Esse foi o arremesso de três que realmente deixou o jogo fora de alcance e foi por isso que o escolhi ao invés do primeiro do vídeo. E é fácil perceber o quanto significava para ele, se fosse olhar para a maneira que ele olha para a câmera após o arremesso. Ele só olha e respira profundamente, compenetradamente.

É subvalorizado, porque quando você pensa no Heat em 2011, é fácil lembrar da derrota contra o Dallas Mavericks nas Finais, mas pouca gente lembra desse arremesso. Mas LeBron se livrando de Boston pela primeira vez? Eu diria que é o momento mais icônico da NBA na década de 2010 que não será repetido pelos próximos anos, pelo simples motivo da derrota do Heat nas Finais. Mesmo assim, definitivamente icônico.

  • 5 - "Ele Passou!":

Se você lembra de algo do jogo sete das Finais da NBA de 2010, você sabe bem que Ron Artest praticamente salvou a temporada dos Lakers. No final desse jogo, os Celtics, que eram uma equipe conhecida pelas bolas de três, passaram maus bocados não acertando sequer um arremesso de longa distância em todo o último quarto. Os pontos estavam cada vez mais difíceis de se conseguir, os Celtics estavam claramente correndo atrás e apenas a três pontos dos Lakers.

Mas ninguém esperava que seria Ron Artest a estacar a adaga no peito de Boston. Apesar do jogo ficar apenas a seis pontos de diferença e dos Celtics ainda terem tido tempo para lutar, foi, de fato, esse arremesso que mudou os minutos finais da partida. Se esse arremesso não tivesse entrado, de acordo com o que aconteceu depois, o jogo teria empatado.

Vale lembrar também que era uma série entre Lakers e Celtics, a maior rivalidade da NBA. Era a segunda vez que se enfrentavam em Finais em três anos, tinha muito na disputa nesse momento. O legado de Kobe e da franquia, além de muitos outros jogadores dos Lakers, pois essa poderia ser a segunda derrota contra seu maior rival em três Finais consecutivas. Mas, graças à coragem de Ron Artest, os Lakers fecharam a série e venceram o campeonato.

  • 4 - Klay do Jogo Seis:

Eu poderia escolher qualquer um dos 11 arremessos do vídeo acima, mas preferi falar, especificamente do décimo (2:26 do vídeo), porque, se você olhar para o placar, foram esses três pontos que mantiveram os Warriors numa distância mais curta do Thunder no jogo seis das Finais de Conferência de 2016. Além disso, esse arremesso veio numa altura do jogo em que estava cada vez mais difícil pontuar. 

Vale destacar que esse foi o arremesso mais difícil que ele tentou naquela noite. Bem distante da linha de três, com Westbrook bem próximo na defesa, mas mesmo assim ele acerta e é parte de uma das performances mais icônicas da década, portanto não é só um arremesso. Mas eu escolhi esse arremesso porque deu vida ao Golden State a vencer esse jogo, motivando eles a vencerem essa série, após estarem perdendo por três a um. O jogo seis era crucial, por ser em Oklahoma e Klay fez isso. 

Bem provavelmente tudo que aconteceu depois dessa série (a ida de Kevin Durant aos Warriors, mais dois títulos), não aconteceria se não fosse por essa performance. Se o Thunder vencesse essa série, os colocaria nas Finais da NBA, depois de se livrarem de um time de 73 vitórias. Mesmo que perdessem para os Cavs de LeBron nas Finais, Kevin Durant ainda teria bons motivos para permanecer em Oklahoma City, levando o curso da história da NBA para um outro caminho. 

Portanto, em outras palavras, se Klay Thompson errasse esse dificílimo arremesso e o Thunder tivesse mantido a vantagem, a NBA seria pouco mais interessante nos últimos três anos. 

  • 3 - Chorando Para A Glória:

Além desse arremesso ser absolutamente icônico, ainda pôs mais um pouco de verdade na brincadeira de que Kawhi Leonard é um robô. Não existe muita explicação para os números e performances dele nessa série. Foi a epítome do que talvez seja a maior performance individual em uma série de playoffs desde LeBron contra o Orlando Magic em 2009. Nós não sabemos o que aconteceria na prorrogação desse jogo, mas já que isso não se desenrolou, esse arremesso levou os Raptors para as Finais da NBA e, consequentemente, para o primeiro título da história da franquia.

É o único arremesso decisivo (em segundos finais) em um jogo sete na história da NBA e não poderia ter sido mais épico. Ele estava sendo duramente marcado, a bola chora no aro algumas vezes, as reações de cada jogador e torcedor são as melhores possíveis. Parece que esse arremesso saiu diretamente de um roteiro de cinema. Imagine ser um torcedor dos 76ers e isso é a última cena que você vê na temporada do seu time. Provavelmente você não gostaria de ver de novo. Para o resto de nós, só existe a certeza de que ainda veremos esse arremesso mil vezes pelo resto das nossas vidas. 

  • 2 - 73-9 Não Vale de Nada Sem Um Anel:

Eu preciso vender essa história de novo? Uma virada de três a um, jogo sete na casa dos Warriors, sendo marcado pelo MVP unânime da temporada e possivelmente melhor jogador da liga na época. Esse arremesso tem muita coisa envolvida, o que deixou dúvida ao pôr na segunda posição, mas é realmente o caminho até esse arremesso que o faz ser tão icônico. É o tipo de caminho que eu não acho que jamais acontecerá de novo na história da liga.

Tem muito a ver com o jogador mais icônico da década: LeBron James. Todo seu legado e a maneira que ele estava sendo rapidamente substituído por Stephen Curry como melhor jogador da liga. O fato dos Warriors terem quebrado o recorde dos Bulls de mais vitórias em uma temporada regular. O mesmo time que já havia vencido de LeBron nas Finais da temporada anterior, mesmo com o astro fazendo tudo que estava a seu alcance. Parecia que, novamente, não ia acontecer para os Cavaliers. Isso é um caminho que só acontece uma vez na vida. Eu não sei se os três últimos anos de sucesso dos Warrios foram suficientes para apagar essa memória.

Eu odiaria ser um fã dos Warriors nesse dia. Eu amaria ser Kyrie Irving.

  • 1 - O Arremesso da Faixa Amarela:

Se o San Antonio Spurs vencesse esse jogo... quer saber? Eu nem quero fazer isso com os fãs dos Spurs, eu não quero contar essa história outra vez. É brutal. É brutal! A razão pela qual eu classifiquei esse arremesso como primeiro, acima do de Kyrie, foi porque mesmo que Irving errasse aquele arremesso, o jogo ainda permaneceria empatado e os Cavaliers ainda teriam chance de vencer. Se Ray Allen errasse este arremesso, o jogo estaria acabado e o Heat estava atrás no placar.

Esse arremesso foi o reflexo do que Ray Allen treinou toda sua carreira na NBA para fazer. Ele inclusive conta uma história de como ele costumava treinar para um momento especificamente como este. Esse arremesso tem um dos melhores jogadores de todos os tempos, um dos melhores arremessadores de todos os tempos e um dos melhores treinadores de todos os tempos, todos presentes no mesmo momento. Não tem como ficar mais icônico do que isso. 






























Nenhum comentário