ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Tudo sobre as classificações do Cruzeiro, Internacional e Athletico Paranaense!

Por: Marcelo Noia

Cruzeirenses comemoraram bastante a classificação contra o arquirrival (Foto: Douglas Magno/ BP Filmes)

Além do Grêmio, Cruzeiro, Internacional e Athletico Paranaense estão nas semifinais da Copa do Brasil. Apesar da derrota por 2x0, o Cruzeiro eliminou o Atlético-MG pelo triunfo de 3x0 no jogo de ida. No Beira-Rio, o Inter devolveu o 1x0 do jogo de ida e venceu nos pênaltis, assim como o Athletico, que empatou novamente por 1x1, e avançou nas penalidades.

Em Minas, o esforço do Galo não garantiu a classificação para a equipe. Depois de um início bastante movimentado, com chances para ambos os lados, a equipe alvinegra abriu o placar com um golaço, aos 35 minutos. Patric cruzou para Fábio Santos e o lateral-esquerdo ajeitou de cabeça para Cazares, que finalizou bonito, sem dar chances para Fábio. Posteriormente, o que se viu foi um grande aumento no volume atleticano, enquanto os cruzeirenses se perderam na partida.

Na volta do intervalo, o roteiro seguiu a mesma linha do pós-gol: Atlético pressionando e um Cruzeiro acuado. Dentro dos 15 minutos iniciais, Otero e Fábio Santos perderam boas oportunidades para os mandantes. A resposta cruzeirense veio aos 20 minutos, quando Marquinhos Gabriel puxou contra-ataque e achou Pedro Rocha, que mandou a bola para os fundos das redes. 

Contudo, o gol foi anulado após consulta no árbitro de vídeo, devido a uma falta de Marquinhos Gabriel em Fábio Santos, no início da jogada. Em decorrência da anulação, houve um princípio de confusão que resultou na expulsão de David e Alerrandro. Com 10 contra 10, os alvinegros seguiram atacando, mas se limitavam as finalizações de fora da área, devido a boa atuação do miolo de defesa Celeste. 

Aos 43 minutos, Patric ainda deu esperança aos atleticanos depois de soltar uma bomba no ângulo de Fábio, da entrada da área. Entretanto, sem muito tempo no relógio, o Galo não voltou a marcar e não reverteu a derrota por 3x0, sofrida no Mineirão.

Confiram os melhores momentos:





Patrick marcou o único gol da partida (Foto: Ricardo Duarte/ Divulgação/ Inter)

Já no Beira-Rio, o Internacional dominou o Palmeiras. Nos 45 minutos iniciais, além dos 63% de posse de bola, foram 11 finalizações Coloradas contra apenas cinco Alviverdes. Rodrigo Moledo e Guerrero pararam em boas intervenções de Weverton, antes que Patrick abrisse o placar, aos 40 minutos, com um chute mascado da entrada da área que matou o arqueiro palmeirense. 

Pelo lado palestrino, apesar do espaço para contra-atacar, os palmeirenses desperdiçaram praticamente todos as oportunidades de contra-golpe. A única finalização da equipe ao gol, na partida, foi com Dudu, que recebeu passe pelo meio e chutou da entrada da área, exigindo boa defesa de Marcelo Lomba, no final do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, o roteiro seguiu o mesmo até os 15 minutos, quando o volume da partida caiu. Antes disso, Weverton voltou a trabalhar duas vezes, depois de dois chutes perigosos de Nico López. Posteriormente, o nervosismo tomou conta da partida e ambas equipes não conseguiram criar - enquanto o Palmeiras não achou mais espaços para criar contra-ataques, o ímpeto ofensivo do Internacional caiu bastante.

No final, ainda deu tempo para duas participações decisivas do árbitro de vídeo: aos 36', Felipe Melo fez grande jogada, invadiu a área e caiu. Imediatamente, o árbitro Rafael Traci assinalou para a marca do pênalti, mas após a consulta no VAR, anulou a marcação. Por fim, aos 47', D'Alessandro cobrou escanteio e Cuesta completou para as redes, mas o juiz voltou a utilizar o recurso tecnológico, devido a uma suposta infração do zagueiro em Felipe Melo, e invalidou o gol.

Por devolver a vantagem do Palmeiras no jogo de ida, a disputa foi para os pênaltis. Marcelo Lomba e Weverton pegaram uma penalidade cada, enquanto Moisés desperdiçou a cobrança alternada e decretou a classificação Colorada.

Confiram os melhores momentos:





Jogadores do Athletico comemoraram bastante a classificação e provocaram bastante o Flamengo (Foto: Jorge R Jorge/ BP Filmes)

Por fim, nos pênaltis, o Athletico Paranaense frustrou mais de 69 mil flamenguistas que estiveram no Maracanã. Com um grande volume nos 15 minutos iniciais, o Flamengo assustou em duas oportunidades, enquanto os comandados de Tiago Nunes equilibraram a partida com o andamento do relógio.

Na primeira grande chance, Arrascaeta cabeceou do meio da área e parou somente em boa defesa do goleiro Santos. Posteriormente, Lincoln completou o cruzamento de Rafinha e o arqueiro paranaense desviou a bola com o pé, evitando o gol da equipe mandante - antes de sair para escanteio, a bola ainda tocou na trave. O único bom lance do Athletico saiu dos pés de Rony, que recebeu bom passe de Marcelo Cirino na entrada da área e mandou por cima do gol de Diego Alves.

Já na volta do intervalo, nenhuma grande chance foi criada, até o gol dos cariocas. Pela esquerda, Vitinho passou por Jonathan com um limpo drible, cruzou e achou Everton Ribeiro na área. O camisa 7 ajeitou para o meio e encontrou Gabigol, que antecipou o zagueiro e colocou a bola no fundo das redes.

A resposta paranaense surgiu com Rony, que recebeu uma linda bola de Bruno Nazário em profundidade, invadiu a área e de cara com o goleiro, bateu rasteiro para empatar o placar. Diego Alves ainda tocou na bola, mas não evitou que o atacante empatasse o placar. Além do nervosismo do campo, a impaciência da multidão de flamenguista pareceu afetar os jogadores, que não conseguiram ter o mesmo volume e viram o Athletico crescer nos 15 minutos finais da partida.

Tentando evitar as penalidades, Rony ainda voltou a assustar no final. Após cruzamento de Bruno Nazário, Cuéllar afastou mal e o atacante chutou com perigo, mandando a esquerda do gol. Contudo, as tentativas foram falhas e o confronto terminou mesmo indo para as penalidades.

Na disputa, apesar da boa atuação com a bola rolando, Santos brilhou ainda mais nos pênaltis. O goleiro pegou as cobranças de Diego e Everton Ribeiro, além de ter sorte na batida de Vitinho, que mandou no travessão. Pelo outro lado, Diego Alves até acertou os cantos, mas só pegou a batida de Bruno Nazário. Por fim, coube ao jovem Bruno Guimarães bater o último e garantir a classificação.

Confiram os melhores momentos:



Nenhum comentário