ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Raio-X completo sobre os gols marcados e sofridos pelo Vitória

Por: Marcelo Noia

A lamentação dos jogadores é a reação que mais representa os torcedores do Vitória, em 2019 (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Após o rebaixamento para a Série B, os torcedores do Vitória até esperavam um ano complicado, principalmente pela diminuição das finanças. Contudo, a temporada de 2019 é uma das piores da história da instituição, visto que em 27 partidas disputadas, o Leão venceu somente em quatro oportunidades.

Com apenas um triunfo na segunda divisão, o rubro-negro baiano é o lanterna da competição e para completar o caos, não passou da primeira fase da Copa do Brasil e nem do Campeonato Baiano. Até mesmo a saída de Ricardo David e a chegada do velho conhecido, Paulo Carneiro, não surtiu efeito para o Leão da Barra.

Para se ter ideia da bagunça que foi o Vitória nesse primeiro semestre, o número de atletas que já pisaram na Toca do Leão, em 2019, é assustador: 68. Dentre eles, 24 atuam no sistema defensivo que, de longe, é o setor com o maior número de atletas e mesmo com essa variedade, ainda foi o principal calcanhar de aquiles da equipe. 

Exemplificando essa afirmação, separamos alguns números do time rubro-negro, nessa temporada. Dos 27 jogos disputados, o sistema defensivo do Leão foi vazado em 23 oportunidades, ou seja, aproximadamente, 85% dos duelos. Além disso, foram 44 gols sofridos nos confrontos disputados, um número que traz uma média assustadora de 1,6 gols sofridos por partida.

Confirmando a instabilidade defensiva, oito zagueiros já atuaram em partidas oficiais nesse ano: Edcarlos, Victor Ramos, Gabriel Silva, Thales, Bruno Bispo, Everton Sena, Zé Ivaldo e Ramon. Dentre eles, apenas os três últimos continuam no elenco.

Para detalhar ainda mais a situação do Vitória, através dos gráficos abaixo, listamos a forma em que o atual time do técnico Osmar Loss sofreu e marcou gols, nessa temporada. Os gols feitos e sofridos variam entre os seguintes aspectos: chutes de dentro da área, gols de fora da área, gols contra, gols de cabeça, gols de falta e de pênalti.

Dos 44 tentos sofridos, 29 (66%) foram de dentro da área, seja por finalizações com os pés ou com a cabeça, expondo uma fragilidade muito grande do miolo de defesa do clube.

Gols sofridos pelo Leão (Fonte: Banco de dados pessoal)
Como mandante, o cenário é bastante parecido com o geral. Somente quatro dos 17 gols sofridos não foram originados de dentro da área, seja por finalizações de dentro da área ou com gols de cabeça.

Gols sofridos pelo Leão, como mandante (Fonte: Banco de dados pessoal)

Já como visitante, os chutes de dentro da área são, por muito, o principal problema da defesa do Leão. Ao todo, a defesa foi vazada em 27 oportunidades e 13 delas foram geradas dessa maneira, um número que representa, aproximadamente, 48% dos gols sofridos.

Gols sofridos pelo Leão, como visitante (Fonte: Banco de dados pessoal)

Pelo outro lado, o Vitória até possui uma boa produção ofensiva. Diante das 27 partidas disputadas, o rubro-negro baiano já marcou 28 vezes - ao todo, é mais de um gol por jogo. Ponto em comum no ataque da equipe, foi a divisão dos gols: são 14 gols como mandante e 14 gols como visitante.

Gols marcados pelo Leão, em 2019 (Fonte: Banco de dados pessoal)

Como mandante, o Leão balançou as redes 14 vezes em 12 oportunidades. Contudo, em nenhuma das oportunidades, o ataque do Vitória conseguiu marcar com alguma finalização de fora da área. Além disso, foram marcados mais tentos de pênalti do que de cabeça.

Gols marcados pelo Leão, como mandante (Fonte: Banco de dados pessoal)

Já como visitante, o cenário é oposto. Dos 14 tentos marcados, seis foram de cabeça e dois foram gerados por finalizações de fora da área, algo que contrasta com as formas com que o Vitória balança as redes, como mandante.

Gols marcados pelo Leão, como visitante (Fonte: Banco de dados pessoal)
Detalhando ainda mais a situação do clube, outros números também evidenciam esse caos defensivo: foram seis jogos sofrendo dois gols, seis sofrendo três e um único confronto, sofrendo quatro. Ou seja, são 13 partidas sofrendo dois ou mais gols e sete com três ou mais gols na conta.

Para o retorno da Copa América, a equipe rubro-negra apresentou três jogadores nessa pausa para a Copa América. O primeiro deles foi goleiro uruguaio Martín Rodríguez, 29 anos, que estava no Racing do Uruguai, o volante Baraka, 32 anos, que estava no futebol árabe e o meia Chiquinho, 29 anos, que estava na Série B da China.

Confiram a lista dos atletas que já treinaram na Toca do Leão, em 2019:

Goleiros (6): Martín Rodríguez, Ronaldo, Caíque, João Gabriel, Lucas Arcanjo, João Cabral; 

Defensores (24): Edcarlos, Matheus Rocha, Jeferson, Ramon,  Thales, Capa, Juninho, Victor Ramos, Everton Sena, Fabrício, Bruno Bispo, Gabriel Silva, Arroyo, Wellisson, Cedric, Zé Ivaldo, Mateus, Marcelo Benítez, Van, Suassuna, Marcelinho, Dedé, Marco Antônio e Elivélton;

Meio-campistas (21): Andrigo, Rodrigo Andrade, Léo Gomes, Yago, Ruy, Nickson, Leandro Vilela, Wesley Dias, Gabriel Bispo, Marciel, Dudu Vieira, Paulo Vitor, Farinha, Jhemerson, Hebert, Felipe Gedoz, Ronald, Baraka, Chiquinho, Matheus Alagoano e Romisson;

Atacantes (17): Léo Ceará, Neto Baiano, Erick, Felipe Garcia, Ruan Levine, Luan Ferreira, Eron, Cléber, Italo, Anselmo Ramon, Luan Silva, Caíque Silva, Wesley, Matheus Augusto, Marcelo, Maurício Cordeiro e Flávio.

Fonte (número e relação dos atletas de 2019): Elton Serra

Nenhum comentário