ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O fim da era dos "Big 3's" na NBA

Por João Dannemann

Uma nova era, de duplas dinâmicas, surge na NBA. (Foto: Listen Notes)

Muita gente deve pensar que o início da febre de trios poderosos em um único time na NBA começou com a ida de LeBron James e Chris Bosh para o Miami Heat em 2010, se juntando com Dwyane Wade, para chegarem a quatro finais consecutivas e vencerem dois títulos. Realmente foi um Big 3 marcante na história da liga, mas, há muito mais tempo, ter um tripé de grandes estrelas já era considerado algo fundamental para tornar uma franquia vencedora na liga.

E quando fala-se em muito tempo, é muito tempo mesmo. Desde os Celtics de meados da década de 60, quando tinham jogadores de Hall da Fama, como Bill Russell, John Havlicek e Sam Jones no mesmo time, por exemplo. Passando pela década de 80, com Big 3's poderosíssimos como o dos Lakers de Magic Johnson, Kareem Abdul-Jabbar e James Worthy, que sempre batia de frente com outro grande Big 3 do Boston Celtics: Larry Bird, Kevin McHale e Robert Parish.

Os Bad Boys dos Pistons chegaram com menos bala na agulha no final da década de 80, mas ainda assim com um tripé de respeito, apoiado em Isiah Thomas, Joe Dumars e Dennis Rodman. O último, que participou do que talvez seja o trio mais absurdo da história da liga, com o Chicago Bulls, na década de 90, quando se juntou a Michael Jordan e Scottie Pippen.

Dennis Rodman (esquerda), Scottie Pippen (centro) e Michael Jordan (direita) venceram três títulos consecutivos pelos Bulls, em 1996, 1997 e 1998. (Foto: Juberry).

Entrando pela década de 2000, Derek Fisher, Kobe Bryant e Shaquille O'Neal venceram três títulos seguidos, em 2000, 2001 e 2002. Já o Big 3 de San Antonio foi mais duradouro. Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginobili jogaram por quase quinze anos juntos e venceram quatro títulos de NBA pelos Spurs de Popovich. Os Celtics trouxeram Ray Allen e Kevin Garnett para juntarem-se a Paul Pierce em 2007 e, só daí, em 2010, LeBron e Bosh foram para Miami.

A história da liga comprova que a fórmula dá certo. Todos esses trios venceram títulos, chegaram a Finais e acumulam honrarias individuais. Porém, depois da última temporada ocorreu a janela de agências livres mais louca da história da NBA. No último mês, grandes estrelas trocaram suas franquias como trocam de roupa e, num último golpe magistral de Kawhi Leonard, a liga parece ter se estabelecido num equilíbrio quase perfeito, sem muitos resquícios de Big 3's, com duas grandes estrelas em cada equipe.

Os times que mais chegam próximo de ter um Big 3 são o Golden State Warriors, o Houston Rockets, o Los Angeles Lakers, o Los Angeles Clippers e o Brooklyn Nets, mas por motivos que explicaremos agora, não devem ser considerados grandes trios e sim grandes duplas com um bom terceiro atleta, porém coadjuvante.

Os Splash Brothers, Klay Thompson (esquerda) e Stephen Curry (direita), seguem juntos em Golden State, com fortes coadjuvantes adicionados ao elenco. (Foto: Online Gambling).

Os Warriors perderam seu melhor jogador, Kevin Durant, após perderem as Finais para os Raptors e serem considerados grandes responsáveis pela ruptura do Aquiles de KD. Além disso, Klay Thompson lesionou seriamente o joelho e deve ficar de fora até os playoffs da próxima temporada, pelo menos. Porém, numa excelente jogada, eles conseguiram garantir D'Angelo Russell para 2019-20. A grande dupla da equipe segue sendo Stephen Curry e Klay Thompson, os Splash Brothers, com o excelente coadjuvante de sempre, Draymond Green. Porém, com a ausência de Klay, Russell tem todas as qualidades para assumir o papel de um dos protagonistas da equipe. O problema vai ser quando Thompson voltar.

Os Rockets garantiram a vinda de Russell Westbrook, que estava muito insatisfeito no Thunder, trocado pelo veterano Chris Paul. A chegada dele é muito emblemática já que ele se junta ao seu amigo e ex-companheiro em OKC, James Harden. Os Rockets agora têm dois dos últimos três MVPs no elenco. Porém, Clint Capela é um atleta que vem evoluindo a cada temporada e se firmando cada vez mais como um dos melhores pivôs da NBA, principalmente defensivamente. Ou seja, Harden e Westbrook terão um excelente fiel escudeiro para segurar a barra. Não deve ser considerado protagonista ainda, mas pode ser um dia.

Os Lakers falharam em adicionar Kawhi ao elenco, que acabou indo para o seu rival local, o Los Angeles Clippers. Mas, LeBron James nunca falha duas vezes. James já havia conseguido juntar outro grande nome ao elenco, quando garantiu que a troca de Anthony Davis ocorresse. E, sem dúvidas, esse é o grande duo da equipe no momento. Porém, os Lakers tem dois excelentes candidatos a formarem um Big 3 futuramente. Kyle Kuzma, jovem promissor que deve ganhar mais minutos nessa temporada, e DeMarcus Cousins, que já foi All-Star e considerado o melhor pivô da liga, mas desde que retornou de uma grave lesão no Aquiles, não conseguiu voltar à velha forma. Essa pode ser sua redenção.

A nova dupla de astros dos Lakers, Anthony Davis (esquerda) e LeBron James (direita), foi vista junta diversas vezes durante jogos da Summer League. (Foto: Sportscasting).

O outro lado de Los Angeles possui a dupla mais empolgante da temporada, Kawhi Leonard e Paul George. Ambos foram sérios candidatos ao prêmio de MVP na última temporada, com Paul George ficando entre os três finalistas. Já Kawhi, conseguiu o título da NBA e o prêmio de MVP das Finais. Ambos são grandes defensores e poderosas armas ofensivas. E, junto a eles, existe um coadjuvante de muito peso, que normalmente sai do banco de reservas. Lou Williams, que já venceu o prêmio de Sexto Homem do Ano por três vezes, além de ser um atleta que adiciona 20 pontos por jogo com muita facilidade.

O futuro de Brooklyn também parece ser estimulante. A franquia conseguiu adicionar três grandes nomes ao elenco: Kevin Durant, Kyrie Irving e DeAndre Jordan. Obviamente que o grande duo da equipe é Durant e Irving, já que Jordan vem decaindo muito nas últimas temporadas. Mas, vale lembrar que KD não atuará na próxima temporada, devido a uma lesão no Aquiles. Portanto, essa é a chance de um DeAndre Jordan mais experiente assumir um papel mais importante em uma equipe mais competitiva.

Não só essas equipes possuem calibre para brigar alto na próxima temporada. Como dito antes, com a extinção dos Big 3's, a liga ficará muito mais empolgante e competitiva. Pelo menos outros dez times têm duplas de estrelas e elencos potentes. O Milwaukee Bucks, por exemplo, com o MVP Giannis Antetokounmpo e o All-Star Khris Middleton. Os Nuggets vêm com seus jovens astros Nikola Jokic e Jamal Murray. No Philadelphia 76ers, Joel Embiid e Ben Simmons vão buscar mais confiança para  processo na próxima temporada. Os Blazers mantiveram sua dupla de armadores sensacionais: Damian Lillard e C.J. McCollum. Kemba Walker foi para o Boston Celtics juntando-se ao jovem astro Jayson Tatum. O Utah Jazz segue apoiado no seu one-two-punch duo, com Donovan Mitchell e Rudy Gobert. Os Spurs com DeMar DeRozan e LaMarcus Aldridge e os Mavericks com Kristaps Porzingis e Luka Doncic também serão times divertidos de assistir.

James Harden abraça Russell Westrbook. A dupla de estrelas voltará a jogar junta, agora no Houston Rockets, após sete anos sendo rivais. (Foto: Deadseriousness).

A NBA dessa temporada agradaria muito o vilão Thanos, do universo Marvel. O equilíbrio foi restaurado na liga e poucos são aqueles que ousam apostar em um campeão antes da temporada começar. Não será fácil e talvez seja a temporada mais complicada dos últimos anos, para a alegria de qualquer fã do melhor basquete do mundo.


Nenhum comentário