ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Giannis Antetokounmpo é eleito MVP da NBA em noite de premiações da temporada regular

Por João Dannemann

O grego Giannis Antetokounmpo, astro do Milwaukee Bucks, posa com seu troféu de MVP da temporada regular da NBA, em 2018-19. (Foto: USA Today).

Nesta segunda-feira (24), o melhor basquete do mundo viveu uma noite especial. A NBA distribuiu as premiações individuais da temporada regular. Os três finalistas das principais categorias já haviam sido divulgados e a expectativa estava grande, principalmente para a entrega do MVP (jogador mais valioso da temporada), que estava entre Giannis Antetokounmpo, Paul George e James Harden, que fizeram temporadas fenomenais. O grego levou a melhor e se tornou o primeiro atleta europeu a vencer o prêmio desde o alemão Dirk Nowitzki, em 2007.

A cerimônia foi comandada por uma das maiores lendas do basquete, o sempre irreverente Shaquille O`Neal. As premiações em si não tiveram muitas surpresas. Giannis, por exemplo, foi o grande astro dos Bucks na temporada, time de melhor campanha na liga. Foi o terceiro maior pontuador e sexto maior reboteiro da temporada, impactando seu time tanto ofensiva quanto defensivamente. Ao receber o prêmio, o grego fez um belo discurso em homenagem ao seu pai: "eu quero agradecer o meu pai. Obviamente, ele não está mais aqui comigo. (...) toda vez que eu pisava em quadra, eu pensava nele e isso me motivava a ser melhor sempre", disse o MVP, às lágrimas.

O Rookie do Ano, que é o melhor novato da temporada, ficou com o esloveno Luka Doncic, do Dallas Mavericks, que foi, de fato, o jovem estreante mais consistente durante o ano. Foi líder em média de pontos, segundo lugar em assistências, segundo lugar em rebotes e terceiro em roubos de bola entre os novatos. Já o Jogador Que Mais Evoluiu foi Pascal Siakam, camaronês, do Toronto Raptors, campeão da liga. Ao receber o prêmio, ele disse belas palavras à crianças africanas que sonham em jogar na NBA: "eu sei que é difícil e parece ser impossível na maior parte do tempo. Mas eu só quero dizer para vocês acreditarem nos seus sonhos e trabalharem duro para isso, e eu prometo que vocês vão conquista-los".

O esloveno Luka Doncic, do Dallas Mavericks, posa com seu troféu de Rookie do Ano da temporada 2018-19 da NBA. (Foto: USA Today).

O Defensor do Ano, pela segunda temporada consecutiva, foi o pivô francês Rudy Gobert, do Utah Jazz. O Sexto Homem do Ano também foi o mesmo do ano passado, Lou Williams, do Los Angeles Clippers, que é o maior vencedor do prêmio, junto com Jamal Crawford, tendo conquistado pela terceira vez na carreira. Já o Treinador do Ano, também sem surpresas, foi Mike Budenholzer, do Milwaukee Bucks, único time com 60 vitórias na temporada regular da liga. Ele já havia vencido o prêmio uma vez, em 2015, pelo Atlanta Hawks.

Com os seis principais prêmios da noite sendo entregues vale destacar algo muito interessante. Pela primeira vez na história da NBA, numa mesma temporada, tivemos mais atletas premiados de fora dos Estados Unidos do que nascidos lá. Dos seis ganhadores, quatro não são norte-americanos: Giannis Antetokounmpo (Grécia), Luka Doncic (Eslovênia), Pascal Siakam (Camarões) e Rudy Gobert (França).

E é claro que além dos grandes prêmios individuais, a NBA também distribuiu aqueles mais simbólicos, que também proporcionaram belos momentos. Mike Conley Jr., que jogou a última temporada pelo Memphis Grizzlies, mas há uma semana foi trocado para o Utah Jazz, venceu os prêmios de Companheiro de Time do Ano e Melhor Espírito Esportivo. Bradley Beal, do Washington Wizards, levou pra casa o prêmio de Assistência À Comunidade, que presenteia algum atleta que teve um bom desempenho em causas sociais. "Por favor, vamos dar de volta aos jovens. Eles precisam de nós, eles são o futuro. Nós somos grandes atletas, somos exemplos, querendo ou não. (...) sua palavra, seu amor, seu toque, essas coisas são muito maiores que só basquetebol", disse Beal ao receber a honraria.

As lendas Larry Bird (esquerda) e Magic Johnson (direita) foram homenageadas com o prêmio de Realização de Vida da NBA. (Foto: USA Today).

A jornalista Robin Roberts venceu o Prêmio Sager Strong, de melhor correspondente esportiva da NBA. O nome do prêmio é em homenagem a Craig Sager, que foi um dos jornalistas mais respeitados a trabalharem na liga, falecido em 2016. Marcus Smart, do Boston Celtics, venceu o Jogador Mais Esforçado do Ano. John Horst, do Milwaukee Bucks, levou para casa a honra de Executivo do Ano. Derrick Rose, com sua incrível performance de 50 pontos, pelos Timberwolves contra o Utah Jazz, venceu o Momento do Ano, do House of Highlights.

Outra premiação especial da noite foi a de Realização de Vida. A NBA só dá esse prêmio para atletas históricos, que transcenderam o basquetebol e serão lembrados para sempre. Dessa vez, os homenageados foram Magic Johnson, lenda dos Lakers, e Larry Bird, lenda dos Celtics. Os ex-jogadores eram grandes rivais na década de 80, mas sempre foram bons amigos fora das quadras. Ao receberem o prêmio, Magic não pôde deixar de agradecer a Bird: "ouça, eu acho que nós nos empurramos à grandeza. (...) eu sempre quis estar onde você estava. Então, obrigado por me melhorar e eu espero que eu tenha feito o mesmo por você".

Nenhum comentário