ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais do que um jogo: Clássico londrino decide a Liga Europa

Azerbaijão escolhido como sede da final da Liga Europa desta temporada (Foto: Trivela)

Nesta quarta, às 16h, Chelsea e Arsenal se enfrentam pelo título da Liga Europa, a segunda competição mais importante do Velho Continente. Similar à Copa Sul-americana dentro do continente americano. Quem vencer a Liga Europa, garantirá uma vaga na Liga dos Campeões da próxima temporada.

Campanhas das equipes

Chelsea x Arsenal decidem Liga Europa (Foto: ESPN)

O Chelsea, que já garantiu vaga na Liga dos Campeões pelo Campeonato Inglês, está invicto na atual Liga Europa. Na fase de grupos esteve no grupo L, ao lado de BATE Borisov, MOL Vidi e PAOK e fez 16 pontos, com 5 vitórias e 1 empate. Na fase de mata-mata passou por Malmo (Suécia) pelo placar de 5x1, por Dinamo de Kiev pelo placar de 8x0, por Slavia Praga pelo placar de 5x3, por Eintracht Frankfurt por 4x3 nos pênaltis, após empatar em 2x2.

Já o Arsenal que busca a classificação para a Liga dos Campeões da próxima temporada, esteve no grupo E junto com Sporting, Vorskla Poltava e Qarabağ, fez a mesma campanha do Chelsea, 16 pontos, sendo 5 vitórias e 1 empate. Na fase de mata-mata passou por BATE Borisov pelo placar de 3x1, por Rennes pelo placar de 4x3, Napoli por 3x0 e por Valencia pelo placar de 7x3.

Polêmica com a escolha do local da partida

Estádio Olímpico de Baku, palco da final da Liga Europa (Foto: torcedores.com)

A partida será realizada na cidade de Baku, no Azerbaijão, país transcontinental (que pertence a mais de um continente). Está localizado entre o leste europeu e o sudoeste asiático e é alvo de ataques devido à sua postura com relação aos Direitos Humanos. Pessoas homossexuais são frequentemente atacadas dentro do território do país, tendo que fugir para outros locais para salvarem a própria vida.

Além disso, diversos veículos de comunicação contrários ao governo de Ilham Aliyev, que ocupa o cargo desde 2003, são silenciados e ocorrem prisões de jornalistas e setoristas da imprensa. De acordo com o ranking de liberdade de imprensa da organização Repórteres sem Fronteiras, o Azerbaijão ocupa a posiçã 166º do mundo, sendo o pior entre os países europeus.

“Com muita frequência, os governos estão usando competições esportivas de alto nível para desviar a atenção de políticas repressivas e violações de direitos humanos, para projetar uma imagem de abertura. Isso não poderia estar mais longe da verdade com a atual administração, e o confronto Arsenal x Chelsea é apenas o último lembrete disso”, relata a diretora da Anistia Internacional, Kate Allen.

Conflito entre países tira jogador da final

Mapa que mostra a fronteira entre Azerbaijão e Armênia (Foto: RFE/RL)

O conflito de Nagorno-Karabakh foi um violento embate que gerou milhares de vítimas. Tem suas raízes na União Soviética e começou na época da Primeira Guerra Mundial. A região, já citada, era habitada por armênios cristãos e azeris turcos e juntou-se ao Império Russo no século 19. Após a dissolução da União Soviética, essa região foi alvo de um referendo para definir o seu destino. Ficou decidido que ela seria independente e que, uma parte se juntaria ao território armênio. 

O detalhe é que há faixas de terra dessa região com domínio do Azerbaijão e a fronteira dessas faixas é justamente com a Romênia. Outro detalhe é que nenhum dos dois governos reconheceu a votação. Com isso, há até hoje o conflito pela posse do local.

Devido à isso, muitos armenos não se sentem seguros em território azeri (do Azerbaijão). Mkhitaryan, jogador do Arsenal, nasceu na Romênia e teve a sua entrada no país vizinho vetada por parte das autoridades, sendo impedido de jogar a final desta quarta, desfalcando a equipe vermelha de Londres. Inclusive, torcedores do Arsenal que usavam a camisa com o nome do jogador armênio pela cidade sede da final, foram enquadrados pela polícia local e tiveram de retirá-la.

Torcedores abordados pela polícia azeri (Foto: Jersey Peeps)

Nenhum comentário