ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ajax: Godenzonen fizeram história (novamente)

Jogadores do Ajax comemoram gol contra a Juventus pelas quartas da atual Champions League (Foto: El País)

Os "Filhos dos Deuses" (tradução para o apelido do clube presente no título desta matéria), na atual temporada recolocaram o seu nome entre os principais na Europa, com uma campanha digna de aplausos na atual edição da Liga dos Campeões, onde foram eliminados pelo Tottenham na semifinal. Engana-se quem pensa que o Ajax surgiu nesta temporada "do nada", o atual sucesso é fruto de um trabalho a longo prazo. A agremiação possui muita história e uma importância enorme para o futebol holandês e mundial. 

História


Escudo oficial do Ajax (Foto: futbox.com)

Em 1900, mais precisamente no dia 18 de março, nascia o Football Club Ajax, fundado por um grupo de amigos, na cidade de Amsterdã. Onze anos depois, em 1911, o clube estreava na elite do futebol holandês. 

Em 1915, assumiu o treinador que viria a ficar mais tempo no comando do clube. Jack Reynolds esteve à frente da equipe durante 35 anos (1915-25, 1928-40, 1945-47). Em 1918, o Ajax conquistou o seu primeiro campeonato nacional de um total de 33 títulos até hoje, fato que o torna o maior campeão holandês.

Além da hegemonia nacional, o Ajax conquistou títulos internacionais ao longo da sua história, inclusive 4 Champions League, nas temporadas 1970/71, 1971/72, 1972/73 e 1994/95 ao vencer as equipes do Panathinaikos, Internazionale, Juventus e Milan, respectivamente.

Década de 1970 - Tricampeonato europeu e a influência na Laranja Mecânica

Esta foi, talvez, a época de ouro do Ajax, na qual o clube conquistou o título da Champions League por 3 anos consecutivos, já citados anteriormente. Além do seu sucesso, o clube teve papel fundamental para o sucesso da seleção de seu país nesta mesma década. A seguir, a campanha em cada uma das conquistas.

Champions League 1970/71 - O primeiro título europeu. A campanha foi composta por 6 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. Dos 13 jogadores que defenderam o clube holandês na final contra o Panathinaikos (11 titulares e 2 reservas que entraram no decorrer da partida), apenas dois eram estrangeiros (um iugoslavo e um alemão).


Ajax entrando em campo para enfrentar equipe grega na final da Champions League (Foto: Wikipedia)

Champions League 1971/1972 - O bicampeonato. O Ajax conquistou o seu segundo título europeu de forma invicta, com uma campanha de 7 vitórias e 2 empates. Na final enfrentou a Internazionale/ITA. Dos 11 titulares que entraram em campo com a camisa vermelha e branca (cores do Ajax) na final, apenas um era estrangeiro (alemão).


(Foto: Botões para Sempre)

Champions League 1972/1973 - O tricampeonato. A terceira glória consecutiva veio diante de mais um clube italiano. Desta vez, ao vencer a Juventus na final. A campanha holandesa teve 7 vitórias. Novamente, dentre os 11 titulares que estiveram em campo na final frente à Juventus, apenas um estrangeiro (alemão).


 (Foto: Botões para Sempre)

O jogador alemão em questão é Horst Blankenburg, que fez parte do elenco nos três títulos conquistados pelo Ajax, consecutivamente.

Nasceu em 10 de julho de 1947, atuou como defensor. Jogou, em sequência, no Nurnberg (ALE), Wiener Sport-Club (Áustria), 1860 Munchen (ALE), Ajax, Hamburgo (ALE), Chicago Sting (EUA), KSC Hasselt (BEL), Preußen Münster (ALE), Hummelsbütteler SV (ALE) e Lüneburger (ALE). Aposentou-se aos 38 anos no ano de 1985.


Horst em campo pelo Ajax (Foto: Alchetron)

Influência na Laranja Mecânica de 1974 e Futebol Total

Como dito anteriormente, o Ajax possui uma importância significativa no estilo de futebol praticado atualmente, principalmente por equipes como o Barcelona. A Laranja Mecânica, como ficou conhecida a Holanda de 1974, tinha um estilo de jogo pautado no 4-3-3 (4 defensores, 3 meias e 3 atacantes). Porém, implementou uma variação até então desconhecida no mundo do futebol. Trata-se do Futebol Total.

Uma tradução "popular" deste conceito é: todos atacam, todos defendem. Na defesa, os movimentos eram bem calculados e precisos, para colocar o ataque adversário em posição irregular, além da forte marcação, ocupação dos espaços para que o ataque adversário não criasse jogadas próximas ao gol da equipe holandesa.


Representação do posicionamento dos jogadores com o conceito "Futebol Total". (Foto: goal.com)

Já no ataque, havia a presença constante dos jogadores de meio campo e também dos defensores. Tal movimentação tinha como objetivo desmontar a marcação criada pelo adversário. Vale ressaltar que este conceito alcançou o sucesso, também, graças ao condicionamento físico dos jogadores envolvidos. Além, claro, da sua qualidade técnica.

Champions League 1994/95 - Campeão mais uma vez em cima de um clube italiano. A vítima da vez foi o Milan. Na primeira fase, o Ajax disputou 6 jogos, obteve 4 vitórias e 2 empates, marcou 9 e sofreu 2 gols.

Nas quartas de final, passou pelo Hajduk Split (Croácia) ao empatar o primeiro jogo (0x0) e vencer o segundo por 3x0. Na semifinal, o adversário foi o poderoso Bayern de Munique (Alemanha) empatando novamente o primeiro jogo em 0x0 e vencendo o segundo jogo, desta vez de goleada, 5x2. E, finalmente na final, enfrentou o Milan (Itália) e o placar desta vez foi modesto, porém suficiente. Apenas 1x0, gol marcado por Kluivert aos 40 minutos da segunda etapa.


Time da temporada 1995 (Foto: FoxSports)

Dos jogadores que entraram em campo na final contra o Milan, contando com os reservas, apenas três eram estrangeiros (em negrito):

- Van der Sar: Participou da base do Ajax
- Reiziger: Base do Ajax
- Danny Blind: Contratado do Sparta Roterdam
- Frank de Boer: Revelado pelo Ajax
- Rijkaard: Revelado pelo Ajax
- Davids: Revelado pelo Ajax (natural de Suriname)
- Seedorf: Contratado ainda jovem para o profissional do Ajax (natural de Suriname)
- Litmanen: Contratado pelo Ajax do MyPa, clube finlandês (Finlandês)
- Finidi: Contratado ainda jovem (Ajax foi o primeiro time) (Nigeriano)
- Ronald de Boer: Revelado pelo Ajax
- Overmars: Contratado do Willem II com apenas 19 anos
- Kluivert: Base do Ajax
- Kanu: Contratado ainda jovem pelo Ajax (Nigeriano)

Esse time conquistou: 
- Mundial de Clubes (95) 
Champions League (95)
- Tricampeonato Holandês (94/95/96) 
- Bicampeonato da Supercopa da Holanda (94/95) 
- Supercopa da UEFA (95)

Além dos títulos, essa equipe entrou para o Guiness Book como o time com a maior sequência de vitórias do futebol mundial. Já havia alcançado tal feito entre outubro de 1971 a março de 1972, quando o Ajax venceu 26 partidas consecutivas. E voltou a realizar esse recorde entre 1995 e 1996, desta vez com uma vitória a menos do que a sequência anterior, 25.

Filosofia do clube 

O Ajax ao longo da sua história, como evidenciado até aqui, é um clube com filosofia "própria", jeito único de jogar futebol. Toque de bola, valorização da posse de bola, verticalidade, procurando o gol a todo instante. 

Desde às categorias de base do clube, os jogadores são treinados a praticarem tal filosofia. Os garotos controlam a bola, valorizam o passe, o toque rápido, não chutam de qualquer maneira para livrar-se da bola. "Chutão" é a última opção.  A categoria muda, de acordo com a idade, porém o estilo é exatamente o mesmo até chegar na equipe profissional.

O clube carrega essa filosofia desde, principalmente, a década de 70 como já explanado aqui. Além da objetividade para alcançar o gol, tal estilo de jogo é implantado no clube desde as categorias de base menores até o profissional, por conta do fator financeiro. O Ajax e o futebol holandês, como um todo, não tem condições de competir economicamente com clubes de outros países, como Espanha, Inglaterra.

Desse modo, o clube decidiu "fazer" os seus próprios craques dentro dos seus domínios. A base do clube é de jogadores formado em suas categorias de base, com uma média de idade baixa. Porém, conta com peças experientes pontuais dentro do elenco. Jogadores com uma idade mais elevada dão um toque de experiência ao plantel.

Para formar o seu time titular, o Ajax gastou "apenas" € 54,5 milhões, valor baixo para os padrões europeus. Confira:


JogadorPosiçãoValor (euros)
OnanaGoleiro€ 150 mil
MazraouiLateral-direitocusto zero
De LigtZagueirocusto zero
BlindZagueiro€ 16 milhões
TagliaficoLateral-esquerdo€ 4 milhões
De JongVolante€ 1 (mais 10% da venda)
Van de BeekMeiacusto zero
SchöneMeiacusto zero
ZiyechAtacante€ 11 milhões
TadicAtacante€ 11,4 milhões
David NeresAtacante€ 12 milhões
Total€ 54,55 milhões
 Fonte: Transfermakt

Champions League 2018/19 - A campanha da atual edição começou cedo. O Ajax disputou três fases antes de classificar-se para a fase de grupos tradicional. Na "segunda pré-eliminatória" derrotou o Sturm Graz (Áustria), por 5x1, no placar agregado. Na "terceira pré-eliminatória", passou pelo Standard de Liege (Bélgica), ao vencer por 5x2, placar agregado e por fim, eliminou o Dínamo de Kiev (Ucrânia) por 3x1, na "fase de play off". Tais vitórias o credenciaram a fase de grupos.

Já na fase de grupos, passou de forma invicta, com 3 vitórias e 3 empates em um grupo composto por Bayern de Munique (ALE), Benfica (POR) e AEK Atenas (GRE). Com 12 pontos, classificou-se para a fase de mata-mata em segundo colocado atrás apenas do Bayern de Munique com 14. 

Contra os alemães, o Ajax fez dois grandes jogos, ambos terminaram empatados com o Ajax buscando o empate após estar perdendo. Pela segunda rodada, jogando na Alemanha, o Bayern saiu na frente logo aos 4 minutos com Mats Hummels, o Ajax empatou aos 22 minutos com Mazraoui.

Já pela sexta rodada, em partida disputada na Holanda, o Bayern saiu na frente com Lewandowski (13'). O Ajax virou para o Ajax marcando dois gols (61' e 82'). O Bayern virou em apenas três minutos (87' e 90') com Lewandowski novamente e K. Coman. Mas o Ajax buscou o empate com Tagliafico já nos acréscimos da partida (95')

Na fase de mata-mata surpreendeu o mundo do futebol ao derrotar alguns gigantes. Nas oitavas de final passou por Real Madrid, ao vencer por 5x3 no placar agregado. Nas quartas de final, passou pela Juventus, vencendo por 3x2 no placar agregado. Já na semifinal, a equipe holandesa não teve a mesma sorte diante do Tottenham (ING). Após vencer o primeiro jogo, em Londres, por 1x0, recebeu a equipe inglesa e sofreu um revés de 3x2, quando estava vencendo por dois a zero.

O destaque desta partida ficou por conta do brasileiro Lucas Moura, que fez os 3 gols da equipe do Tottenham na partida. O terceiro, inclusive, no último lance da partida, já nos acréscimos. Aos 50 minutos do segundo tempo!


Jogadores posando para foto antes da partida contra o Real Madrid, na Espanha (Foto: thenational.ae)

Nenhum comentário