ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vexame

Torcida maranhense comemorou muito a classificação no Castelão (Foto: Bruno Alves/ Globoesporte.com)

Na noite da última quarta-feira, o Moto Club venceu o Vitória por 2x0 e carimbou o passaporte para a segunda fase da Copa do Brasil. A partida ocorreu no Castelão e encerrou a sequência de oito jogos de invencibilidade do Leão. A derrota apareceu
 quando não poderia: na competição que mais tinha potencial de gerar dinheiro em curto prazo e que era fundamental para os cofres da equipe.

Sem grandes emoções nos 45 minutos iniciais, a falta de criatividade e qualidade na partida foi um ponto fundamental nesse período. Com raros lances de perigo, nenhuma das duas equipes aproveitaram as escassas chances que possuíram: aos seis minutos, Rodrigo Andrade achou Léo Ceará livre na marca do pênalti e viu o camisa 9 do Vitória isolar a melhor e única chance do time no jogo.

Do outro lado, o clube maranhense também não teve uma boa atuação e levou perigo apenas aos 31 minutos, em um erro da dupla Ramón e Ronaldo. Os defensores do Leão sofreram pressão na saída de bola, se enrolaram e permitiram que a bola sobrasse para o atacante Dalmo, que chutou mas não conseguiu abrir o placar, pela recuperação do arqueiro visitante.

Já na etapa final, o Moto Club voltou melhor e fez por merecer a classificação. Antes mesmo dos 15 minutos, os maranhenses já haviam finalizado três vezes, contra apenas um arremate do Vitória. O nome da partida, por sinal, foi o lateral Gleissinho, que entrou aos 10 minutos do segundo tempo e teve participação direta nos dois gols.

Após a substituição de Chamusca aos 23 minutos, que optou por tirar Ruy e colocar Juninho, a péssima atuação do Leão só piorou - com exceção de um chute de Andrigo, de longa distância, o clube baiano demonstrou muita dificuldade no ataque e sequer levou perigo ao goleiro Rodolfo.

Em contrapartida, o Papão do Norte cresceu na partida e abriu o placar com Gleissinho, depois de um confuso lance na área de Ronaldo. Infiltrando nas costas de Jeferson, que não conseguiu conter o camisa 18 da equipe mandante, Gleissinho tentou um passe para o meio da área e parou no tapinha do goleiro rubro-negro baiano, o desvio bateu em Ramon e sobrou para o próprio lateral que empurrou, de carrinho, a bola para as redes.

Com o placar aberto, o Moto Club surpreendeu e não parou de atacar, pressionando o Vitória e desperdiçando grandes chances de matar o confronto. Antes do gol que carimbou a classificação, a equipe comandada por Wallace Lemos perdeu, no mínimo, duas boas chances de aumentar o placar.

Por fim, coube a Juninho Arcanjo, aos 47 minutos, converter o pênalti sofrido por Gleissinho e dar números finais ao confronto. Assim como em 2011 e 2014, o Vitória está eliminado na primeira fase da Copa do Brasil.

Preocupação

Apesar de enfrentar um clube que disputa a Série D, em nenhum momento da partida o Leão conseguiu ter domínio da partida e se impor como um time melhor. Refém de lances isolados e escassos no duelo, o elenco comandado por Chamusca segue com problemas na criação e tornou evidente a deficiência técnica da equipe.

Além disso, outro ponto que piora a eliminação do Vitória são os problemas financeiros. Com a precoce eliminação, o rubro-negro baiano deixou de faturar R$ 625 mil por disputar a segunda fase, na soma dos valores, já seriam R$ 1,15 milhões a mais nos cofres (R$ 625 mil referentes ao avanço e R$ 525 mil pela disputa da primeira fase). Se o dinheiro vem sendo uma dificuldade na Toca do Leão, os problemas do Vitória só tendem a aumentar após esse duro golpe.

Confiram os melhores momentos:

Nenhum comentário