ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Luz no fim do túnel

Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória

No último domingo, dia 26, o Vitória bateu o Atlético Mineiro por 1 a 0, dentro do Barradão. O atacante, Léo Ceará, foi o autor do único tento rubro-negro.

O triunfo sobre os mineiros foi de extrema importância para o Leão em diversos aspectos. Além de voltar a vencer após cinco jogos e somar os três pontos que tirou a equipe da zona de rebaixamento, a melhoria psicológica do clube e a auto-confiança são pontos fundamentais a serem resgatados pela nova comissão técnica.

A opção de Carpegiani em optar pela manutenção dos jogadores vindos da base, ignorando o imediatismo tolo e cotidiano do futebol brasileiro, é outro ponto louvável. O jovem Lucas Ribeiro teve uma boa atuação, buscando sempre sair jogando e transparecendo muita frieza e tranquilidade, aspectos não vistos em companheiros como Kanu ou Ruan Renato.

Além do zagueiro, a dupla de "Léo's" também tiveram desempenhos positivos. O volante atuou como um "cabeça de área", permanecendo mais recuado nas investidas do Leão, dando uma boa proteção para o sistema defensivo e ainda participando da saída de bola. Enquanto isso, Léo Ceará foi um dos grandes destaques do time: com bastante movimentação, o atacante de 23 anos ajudou na marcação pressão proposta pela equipe, dando também muita opção de passe para os outros jogadores e de ser o autor do único gol da partida.

Ainda é necessário falar sobre o belo primeiro tempo do lateral-esquerdo Marcelo Benítez, que foi bastante acionado no corredor e peça fundamental nas bolas paradas do Leão. Já Neilton, que continua devendo, teve uma performance pouco efetiva, porém participativa no primeiro tempo, saindo diversas vezes da área para buscar a bola e flutuando por toda a extensão do ataque - agora, confira o mapa de calor do atleta, segundo o Footstats.

Foto: Footstats

E lá atrás, dois nomes bastante criticados pela torcida também merecem destaque: Ramon e Ronaldo. O zagueiro de 23 anos atuou em sua posição de origem e teve uma atuação bastante segura; o goleiro teve uma de suas melhores partidas pelo clube com, no mínimo, três defesas importantíssimas para a manutenção do resultado.

Sobre o jogo

Durante o primeiro tempo, o Vitória apresentou um desempenho satisfatório. Apostando em uma marcação com as linhas altas, abafando a saída de bola do Galo, o Leão conseguiu diversas roubadas de bola no campo dos visitantes. Enquanto isso, a segunda etapa reservou um rubro-negro mais defensivo e voltado ao contra-ataque, devido a um aparente cansaço dos jogadores após os intensos 45 minutos iniciais.

Quanto as falhas individuais, precisam ser revistas, pois com um minuto de jogo, Rodrigo Andrade recuou uma bola errada e Ricardo Oliveira desperdiçou uma grande oportunidade. Além do volante, Benítez também falhou no segundo tempo e originou uma grande chance perdida por Elias. Em fases como a passada pelo rubro-negro, qualquer deslize pode custar caro e desmoronar uma equipe que ainda demonstra ser frágil.

Por fim, é preciso frisar que apesar da aparente evolução com as alterações realizadas, o time comandado por Carpegiani ainda está longe de ser um time confiável. Os garotos precisarão de toda paciência da torcida, uma vez que a irregularidade e a falta de experiência são fatores comuns na passagem da base para o profissional, principalmente quando essa transição ocorre em contexto de crise.

Nenhum comentário